Análise: São Paulo melhora no ataque, mas erros defensivos custam outra derrota no Paulistão

São Paulo viveu uma noite amarga em Bragança Paulista. Se o sistema ofensivo, tão em xeque, reapareceu, a segura defesa viveu 90 minutos muito ruins diante de um rival intenso, veloz e agressivo. Essa irregularidade, geralmente o inverso desde o ano passado, custou a derrota por 4 a 3 para o Red Bull Bragantino.

O resultado negativo passa por uma atuação ruim com problemas de recomposição e espaço cedido entre os zagueiros. Difícil lembrar-se de noites tão abaixo de Miranda e Arboleda.

A citação à dupla de zaga, contudo, não resume a noite ruim do sistema defensivo. Pelas pontas, especialmente pela esquerda, Reinaldo sofreu com Artur. Na proteção defensiva, Hyoran encontrou espaços e levou a melhor em um duelo individual com Rodrigo Nestor. O sistema não funcionou, e a derrota veio no fim.

Rogério Ceni e Igor Vinicius conversam durante a derrota para o Bragantino — Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Rogério Ceni e Igor Vinicius conversam durante a derrota para o Bragantino — Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Depois de 45 minutos ruins no campo de ataque, Ceni ajustou o time com Igor Gomes, que deu fluidez ao time. Este cenário permitiu a Gabriel Sara e Emiliano Rigoni crescerem.

Com a evolução da dupla, o time melhorou e inverteu o cenário de desvantagem. Buscar o empate com Igor Vinicius e a virada com Calleri, contudo, ficou em segundo plano diante de uma noite ruim do outro lado do campo. Porém, para quem gosta de enxergar o copo meio-cheio, a quinta-feira não foi de toda ruim.

O que deu certo

 

Alisson e Rigoni em Bragantino x São Paulo — Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Alisson e Rigoni em Bragantino x São Paulo — Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Os primeiros 45 minutos repetiam o panorama ofensivo dos últimos tempos: distribuição de bola lenta, pouca movimentação e previsibilidade. Bastou uma alteração de Rogério Ceni para tudo mudar, e o São Paulo enfim se desprender na temporada.

Com Igor Gomes no meio-campo, Gabriel Sara encontrou mais espaços. Rigoni, que já começara bem o jogo, cresceu ainda mais e participou diretamente de dois gols. Calleri, com maior auxilio, ganhou chances e balançou as redes.

O trabalho de ataque do segundo tempo, com passes rápidos e aceleração, pode ser anotado como exemplo para Rogério Ceni, que precisa de novas atuações deste nível de Sara e Rigoni, talvez as duas peças mais importantes na criação.

O que deu errado

 

Hyoran encontrou muita liberdade e foi o grande destaque do jogo — Foto: Denny Cesare / Ag. Paulistão

Hyoran encontrou muita liberdade e foi o grande destaque do jogo — Foto: Denny Cesare / Ag. Paulistão

O sistema defensivo e lentidão na saída de bola custaram ao São Paulo. O símbolo desta noite ruim se encontra em Miranda.

O capitão errou passe perto da área e perdeu a dividida com Artur, que aproveitou-se para abrir o placar.

No segundo gol do Bragantino, Alerrandro se deslocou da marcação de Miranda e invadiu o espaço nas costas de Arboleda para vencer Tiago Volpi.

00:00/04:39

A Voz da Torcida – Caio: “SPFC precisa mudar, o sinal vermelho já acendeu”

Este mesmo espaço entre os dois zagueiros foi aproveitado por Gabriel Novaes, ex-São Paulo e autor do gol da vitória.

Quem mais se beneficiou dos espaços, contudo, foi Hyoran. Eleito o melhor do jogo, o meia anotou um golaço, em lance de hesitação de Igor Vinicius, e ainda deu duas assistências, vencendo duelo particular com Rodrigo Nestor.

Próximos passos

 

Jogadores do São Paulo fazem roda — Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Jogadores do São Paulo fazem roda — Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Correções devem ser feitas na equipe, e Rogério Ceni terá quase uma semana para trabalhar o São Paulo na busca pela primeira vitória no Campeonato Paulista.

O Tricolor enfrentaria o Palmeiras neste fim de semana, mas o clássico acabou adiado em virtude da participação alviverde no Mundial de Clubes. Assim, Rogério Ceni e companhia só voltam a campo na quarta-feira, às 19h (de Brasília), contra o Santo André, no Morumbi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.