Análise: Flamengo tem 37 atletas escalados no Carioca, e aposta de Paulo Sousa na defesa não agrada

Em seu terceiro jogo à beira do campo no comando do Flamengo, Paulo Sousa seguiu o planejamento de fazer observações e rodar o elenco. Na vitória por 2 a 1 contra o Audax, quinta, em Volta Redonda, ele inovou na formação, e, principalmente no setor ofensivo, teve um retorno negativo.

Ao todo, o Flamengo já utilizou 37 jogadores no Carioca, e nenhum deles atuou em todas as partidas. Contra o Audax, o técnico português escalou a linha de zagueiros com Isla, Léo Pereira e Filipe Luís. Não funcionou da maneira esperada.

Isla na partida do Flamengo contra o Audax — Foto: Marcelo Cortes/Flamengo

Isla na partida do Flamengo contra o Audax — Foto: Marcelo Cortes/Flamengo

Isla não acertou o posicionamento na nova função, foi batido em alguns lances e deixou espaços. Léo Pereira acabou ficando exposto e falhou no lance do gol do Audax. Filipe Luís manteve a qualidade na saída de bola, mas teve dificuldades na marcação, principalmente nas disputas corpo a corpo.

– Tivemos algumas dificuldades, sobretudo o Isla, primeiro porque foi um dos últimos a chegar depois da seleção. Sobre os zagueiros, também temos tido dificuldades em termos numéricos de jogadores frescos que possam jogar. E entendemos por bem que o Isla poderia estar nessa posição – disse Paulo Sousa.

A torcida mostrou descontentamento com o desempenho do time, com direito a algumas vaias e xingamentos. A melhor notícia da vitória sobre o Audax foi o desempenho de Lázaro como ponta esquerda. Ele criou boas jogadas e levou perigo ao adversário.

Lázaro se destacou pelo Flamengo na vitória sobre o Audax — Foto: Marcelo Cortes/Flamengo

Lázaro se destacou pelo Flamengo na vitória sobre o Audax — Foto: Marcelo Cortes/Flamengo

A partida foi mais oportunidade de ver Gabigol (que fez um belo gol) e Pedro juntos e tentar dar mais entrosamento para a dupla, que ainda combina poucas jogadas. A melhor foi já perto do fim da partida, quando o camisa 9 serviu, Pedro tocou por cima do goleiro, mas o zagueiro impediu o gol.

A nove dias da Supercopa, contra o Atlético-MG, Paulo Sousa ainda tem problemas para montar o time, como Bruno Henrique, que se recupera de lesão na coxa, mas precisa reduzir os testes e desenhar a formação do que pretende usar na decisão.

– Espero estar o mais próximo possível (de chegar a um 11 ideal), no entanto temos uma final para ganhar. E é nessa que temos de estar centrados para tomar as melhores decisões com os melhores jogadores para obtermos o que pretendemos, que é ganhar – disse o treinador.

Antes da Supercopa, o Flamengo ainda enfrenta o Nova Iguaçu, no domingo, e o Madureira, na quarta-feira. A equipe termina a quinta rodada na quarta posição, com dez pontos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.