Análise: mais solto e agressivo, Corinthians faz o que a Fiel pede, mas segundo tempo deixa alerta

Laterais fazendo ultrapassagens, meias se movimentando bastante e trocando de posições, marcação adiantada para sufocar a saída de bola do adversário, triangulações…

Na vitória por 2 a 1 sobre o Mirassol, em Itaquera, o Corinthians atendeu a diversos pedidos de sua torcida e teve a melhor apresentação neste início de temporada.

Diante de um adversário competitivo e bem organizado, o Timão esteve mais solto para atacar e apresentou postura agressiva para recuperar a bola, conseguindo inflamar a Fiel em diversos momentos da partida.

O técnico interino Fernando Lázaro manteve o 4-1-4-1 de Sylvinho, mas com pitadas de originalidade. Em vez de ficar como falso 9, Mantuan foi jogar do lado esquerdo, e Róger Guedes atuou mais centralizado. Giuliano ocupou o lado direito, mas inverteu com Paulinho em alguns momentos do primeiro tempo.

Fernando Lázaro e Renato Augusto em Corinthians x Mirassol — Foto: Marcos Ribolli

Fernando Lázaro e Renato Augusto em Corinthians x Mirassol — Foto: Marcos Ribolli

Quando abriu o placar, aos 18 minutos, o Corinthians tinha mais de 70% de posse de bola e monopolizava as ações do jogo. O gol veio após um desvio da bola na defesa do Mirassol, mas só aconteceu graças à transição rápida de Mantuan e a aproximação de Renato Augusto e Giuliano.

A vantagem durou muito pouco, menos de cinco minutos. Assim como já havia sido contra o Ituano, no último domingo, a marcação alvinegra vacilou em cobrança de escanteio – Gil e Lucas Piton estavam no setor, mas Rodrigo Ferreira conseguiu subir entre os dois e cabecear.

00:00/21:55

Veja a coletiva de Fernando Lázaro após a vitória do Corinthians sobre o Mirassol

Corinthians não se abateu com o golpe e seguiu melhor. Avançando as linhas de marcação, a equipe dificultava a saída de bola do Mirassol e conseguia retomar a posse mais perto do gol adversário.

À frente da zaga, Du Queiroz dava sustentação para os laterais avançarem e Paulinho ficar livre para fazer suas habituais infiltrações. Renato Augusto recuava para ajudar na saída de bola, mas também conseguia se apresentar à frente.

Foi do camisa 8 a virada de jogo magistral que originou o gol da vitória. Aberto pela esquerda, ele lançou Fagner na ponta direita, e o lateral cruzou na medida para Paulinho marcar pela primeira vez na Neo Química Arena.

A Voz da Torcida – Careca: “Paulinho: o homem do gol de 3 pontos”

Com um pouco mais de capricho e sorte, os donos da casa teriam ido para o intervalo com uma vantagem ainda maior. Porém, o controle do Corinthians visto no primeiro tempo foi se dissipando ao longo da etapa final.

Sem conseguir manter a intensidade, o Timão passou a apertar menos a saída do Mirassol e viu a posse de bola também diminuir. Os visitantes começaram a ter espaços nas costas dos meias corintianos e levaram perigo ao gol de Cássio, que fez pelo menos três boas defesas no segundo tempo.

Gol de Renato Augusto em Corinthians x Mirassol — Foto: Marcos Ribolli

Gol de Renato Augusto em Corinthians x Mirassol — Foto: Marcos Ribolli

Com a equipe definhando fisicamente, Fernando Lázaro tentou intervir. Primeiro dando fôlego novo e uma válvula de escape com Willian, que teve atuação discreta. Depois, puxando Paulinho para o centro, e deixando Róger Guedes na direita, com mais obrigações defensivas.

Difícil saber se a queda de rendimento na etapa final é circunstancial e até aceitável por estarmos no começo da temporada ou se é um sintoma de uma equipe formada por diversos jogadores acima dos 30 anos. Fato é que, assim como o primeiro tempo contra o Mirassol deixa bons sinais e serve para animar o torcedor corintiano, o segundo acende um sinal de alerta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.