Alunos voltam com conteúdo “velho” e foco no resgate da leitura e escrita

É tempo de encarar a defasagem aberta no ensino após dois anos de pandemia

Alunos voltam às aulas na escola Brígida Ferraz Foss, na Vila Jacy. (Foto: Paulo Francis)

A volta às aulas 100% presencial nesta quinta-feira (dia 3) é de olho no retrovisor. A Reme (Rede Municipal de Educação), que tem 109 mil estudantes em 204 escolas, prioriza o resgate de conteúdo, com foco em leitura e escrita. É tempo de encarar a defasagem aberta após dois anos de pandemia, que tirou os alunos da sala de aula, com ensino à distância.“O posicionamento da secretaria é não trabalhar conteúdo novo e sim a defasagem do aluno. Principalmente, escrita e leitura”, afirma a secretária municipal de Educação, Elza Fernandes. A pasta prepara um novo diagnóstico sobre aprendizado e vai instituir aulas de reforço a partir do mês de abril.

A alta da variante Ômicron forçou atraso o ano letivo, que começaria em 14 de fevereiro. A reposição dessas aulas será no formato de atividades complementares.

A pandemia segue exigindo medidas de biosseguranças, como uso obrigatório de máscara em álcool em gel. Porém, não há mais a regra do distanciamento.  A aferição da temperatura com termômetro é opcional, de acordo com a decisão de cada unidade escolar“O modelo volta a ser 100% presencial porque diminuiu bastante a taxa de contaminação e temos a vacinação, inclusive nas próprias escolas”, diz a secretária. A titular da Semed (Secretaria Municipal de Educação) não tinha os dados de alunos vacinados. “Isso é da área de Saúde. O que a gente pode auxiliar é orientar os pais e vamos continuar com a vacinação”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.