Há 3 meses, Sônia procura pela irmã, moradora de rua em Campo Grande – CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

Maria Aparecida Santos era usuária de droga e teria sido internada em uma fazenda de reabilitação por pastora

Fotos divulgadas por familiares de Maria Aparecida durante buscas (Foto: Direto das Ruas)

Fotos divulgadas por familiares de Maria Aparecida durante buscas (Foto: Direto das Ruas)
Aflitos, familiares de Maria Aparecida Santos Silva, de 53 anos, buscam informações sobre a mulher que desapareceu há quase três meses. Maria estava em situação de rua, fazia uso de drogas e segundo a irmã, Sonia dos Santos Moraes, vivia com o marido no pontilhão da Manoel da Costa Lima com a Ernesto GeiselSônia disse ao Campo Grande News que o marido de Maria apresentou duas versões para o sumiço da esposa. Inicialmente, disse que pastora que fazia ações de acolhimento na região, levou Maria para trabalhar em uma fazenda, em janeiro.

a segunda versão, o homem relatou que a esposa teria sido levada pelo grupo da igreja para passar por tratamento de reabilitação. O responsável pela clínica teria dito ao marido de Maria que ela estava bem, engordou e havia se livrado do vício.

Sônia diz que, apesar do uso de entorpecentes, Maria era uma pessoa lúcida, ia regularmente a médicos, visitava a família e cuidava da aparência. “Mesmo morando na rua há mais de dez anos, ela nunca se descuidou, sempre que a gente ia atrás dela no pontilhão, ela estava arrumada” lembra.

Sem informações concretas do paradeiro de Maria a família faz um apelo para quem souber de qualquer informações entre em contato com a polícia ou com Sonia pelo número: (67) 98442-9829.

Direto das Ruas – A sugestão de reportagem chegou ao Campo Grande News por meio do canal Direto das Ruas, meio de interação do leitor com a redação. Quem tiver flagrantes, sugestões, notícias, áudios, fotos e vídeos pode colaborar no WhatsApp pelo número (67) 99669-9563.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.