PP de MS espera Londres, Verruck e Duarte em ‘lote’ de filiações puxado por Tereza Cristina

Tereza Cristina assume a direção regional do PP e deve filiar ainda 16 prefeitos com mandato em MS

Ministra Tereza Cristina será presidente do PP em MS
Ministra Tereza Cristina será presidente do PP em MS – Arquivo, Mapa

Com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, comandando o diretório estadual do PP de Mato Grosso do Sul, os deputados estaduais Londres Machado (PSD), Paulo Duarte (MDB) e o secretário da Semagro, Jaime Verruck, devem se filiar ao partido para disputarem as eleições deste ano.

A legenda pretende fazer pelo menos quatro deputados estaduais no Estado, sendo que dois disputam a reeleição:Gerson Claro e Evander Vendramini.

Vendramini comandou o PP no Estado até 2 de março, após quatro anos à frente do partido. Ele já havia adiantado ao Jornal Midiamax que ofereceu a cadeira à ministra por hierarquia, por ela ter o maior mandato dentro do partido.

Membros do partido confirmaram ainda ao Jornal Midiamax que o deputado Londres Machado deve deixar o PSD e pretende seguir os passos da ministra. A assessoria de comunicação do parlamentar afirmou não ter conhecimento da mudança e o espaço segue aberto para manifestação.

Paulo Duarte também pode ir para o PP. Ele assumiu a vaga deixada pelo agora secretário de Governo, Eduardo Rocha (MDB) em dezembro do ano passado. Conforme adiantou ao Jornal Midiamax, o ex-prefeito de Corumbá deve disputar a reeleição em outra sigla, mas também não confirma ainda em qual.

Outro deputado de olho no PP é Lucas de Lima.Ele confirmou que está de saída do Solidariedade e avalia se vai se filiar ao Progressistas ou ao PDT. Coronel David, sem partido desde 2019, também avalia se disputa a reeleição no PP ou PL, legenda do presidente Jair Bolsonaro. Aliado a Tereza Cristina, o secretário Jaime Verruck é pré-candidato a deputado estadual e também deve sair pelo Progressistas.

Ainda segundo membros do PP confirmaram à reportagem, a ministra deve levar 16 prefeitos do DEM ao partido, que já tem cinco chefes de Executivos, que venceram as eleições de 2020.  A chapa pretendida pelo partido é fazer dois deputados federais e quatro estaduais, além da ministra como senadora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.