Venezuela pode ser um substituto para o petróleo russo, mas críticos temem ajudar outro homem forte

Governo Biden recebe críticas até de aliados no Parlamento americano

Tanque de petróleo da empresa estatal venezuelana PDVSA Foto: Isaac Urrutia / REUTERS 29-1-19

CARACAS — O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, sinalizou na segunda-feira a disposição de aumentar a produção de petróleo de seu país se os suprimentos russos forem excluídos do mercado internacional, ao descrever uma reunião com autoridades americanas no fim de semana como “respeitosa, cordial e muito diplomática”.

A Venezuela, um aliado russo cuja indústria petrolífera está sob sanções americanas, surgiu como um possível substituto para alguns dos suprimentos de petróleo que poderiam ser proibidos à medida que os Estados Unidos aumentam seus esforços para punir a economia russa.

Autoridades americanas estão procurando aliviar as sanções para permitir que o petróleo venezuelano volte aos mercados globais e abordar o rápido aumento dos preços do petróleo.Mas tais esforços enfrentam uma série de obstáculos. Alguns membros do Congresso têm criticado fortemente qualquer esforço para reatar os laços com a Venezuela, dizendo que os esforços para isolar o presidente Vladimir V. Putin da Rússia não devem impulsionar outros líderes autoritários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.