Na Ucrânia, civis fogem de cidades sitiadas em meio a novo cessar-fogo

Tentativas anteriores de estabelecer corredores de humanitários seguros falharam devido a ataques de forças russas

None
Foto: Reprodução

Novos esforços para retirar civis de cidades ucranianas sitiadas e bombardeadas por forças russas estão em andamento nesta quarta-feira, 9, à medida que as condições da guerra se agravam. Autoridades russas anunciaram hoje um novo cessar-fogo para permitir a fuga de habitantes de Mariupol, Sumy, Enerhodar, Volnovakha, Izyum e várias outras cidades na região que circunda a capital da Ucrânia, Kiev.

Tentativas anteriores de estabelecer corredores de humanitários seguros falharam devido a ataques de forças russas, e há poucos detalhes sobre os esforços desta quarta-feira. Ainda não está claro se alguém conseguiu sair de Mariupol, mas algumas pessoas começaram a deixar áreas próximas a Kiev.

Mariupol, onde quase metade da população de 430 mil pessoas espera ter uma chance de escapar, está sob cerco russo há dias.

Chernobyl

A Agência International de Energia Atômica (AIEA) afirmou na noite desta terça-feira que deixou de receber dados de seus sistemas na usina nuclear desativada de Chernobyl, utilizados para monitorar a atividade radioativa no local.

Forças russas tomaram controle da usina no fim de fevereiro e a AIEA já havia relatado que a comunicação entre o local e reguladores nucleares da Ucrânia só estava sendo realizada por meio de e-mails.

A Agência sinalizou nesta terça-feira que o fluxo de informações se deteriorou ainda mais e “está analisando o status dos sistemas de monitoramento de proteção em outros locais da Ucrânia e fornecerá mais informações em breve”.

Ao mesmo tempo, o governo ucraniano alerta que a usina em Chernobyl está sem energia, o que ameaça o sistema de resfriamento do material radioativo armazenado, podendo provocar um vazamento deste material. Fontes: Associated Press e Dow Jones Newswires.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.