Dia do Telefone: campo-grandense ‘aposenta’ o fixo, mas não abre mão do celular

Em 10 anos, Mato Grosso do Sul tem 100 mil linhas fixas a menos

No dia 10 de março de 1876, surgiu oficialmente o telefone.
No dia 10 de março de 1876, surgiu oficialmente o telefone. – Arquivo/Midiamax

Você gosta da modernidade? Nem imagina a sua vida sem o seu celular? Já pensou na sua vida sem as redes sociais. Parece algo de outro mundo, né? Mas nem sempre as coisas foram assim. No dia 10 de março de 1876, surgiu oficialmente o telefone, aparelho que conseguiu transformar as relações econômicas e sociais em todo planeta.

Considerado uma das maiores mentes do mundo, o inventor do telefone, Alexandre Graham Bell, também é responsável por ter criado bases de outras invenções que também foram fundamentais para a humanidade.

Sim, se hoje em dia você tem um aparelho que te faz manter contato com o resto do planeta, o grande idealizador foi Granham Bell. Claro que o telefone passou por várias mudanças, uma delas foi a quase extinção dos aparelhos fixos nas residências. Com a praticidade do celular, muita gente preferiu exclusivamente o aparelho móvel.

Segundo os dados da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), em 2022, Mato Grosso do Sul tem pouco mais de 343 mil linhas de telefones fixos. Há 10 anos, em 2012, o Estado tinha mais de 432 mil, quase cem mil a menos em uma década.

A informação que as pessoas estão preferindo os celulares e deixando de lado os telefones fixos é confirmada nas ruas de Campo Grande. Pode ser pelo preço ou pela praticidade, mas todos os entrevistados pelo Midiamax, a resposta é a mesma e comprova que a telefonia móvel realmente chegou para ficar.

Elza Gomes, de 61 anos e Airton Morais de 69 anos, viram muita coisa mudar. O casal, junto há mais de quatro décadas, conseguiram acompanhar algumas mudanças do telefone, mas hoje em dia é pura modernidade.

[Colocar ALT]
Elza e Airton viram muita coisa mudar. Foto: Nathalia Alcântara.

“Antigamente era muito caro ter um telefone fixo em casa e a gente acostumava usar os famosos orelhões. Hoje em dia é tudo muito fácil e na palma da nossa mão. Não temos mais telefone fixo, só usamos o celular”, disse Elza.

Ricardo Vieira de 43 anos se lembra quando comprava ficha para usar no orelhão. “A gente comprava fichas e conforme ela ‘caía’ precisava ir colocando outra. Depois inventaram o cartão telefônico e agora todo mundo acaba usando só o celular”, destacou.

Ana Maria de 28 anos também ressalta que a praticidade do celular fez muita gente deixar de lado o ‘velho amigo’. “Antigamente era muito difícil a gente conseguir manter contato com as pessoas. Usávamos o orelhão ou algum telefone fixo, mas ligar de uma linha fixa era uma fortuna. O celular revolucionou a nossa comunicação”, explicou.

José Oliveira de 56 anos, diz que já teve telefone fixo em casa, mas hoje em dia não compensa mais ter. “Às vezes a gente paga pela linha e não usamos, então não compensa. Com o celular todo mundo te encontra, não importa o lugar que você está”.

[Colocar ALT]
José diz que não compensa ter telefone fixo em casa. Foto: Nathalia Alcântara.

Ainda segundo os dados fornecidos pela Anatel, em 2022, Mato Grosso do Sul tem quase 3 milhões de linhas móveis, sendo 1,2mi só na Capital, Campo Grande.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.