VÍDEO: Perícia aponta que incêndio que destruiu apartamento no Centro começou na sala

Bombeiros ainda fazem vistoria no local e síndica diz que muitos moradores preferiram passar a noite na casa de parentes

None
Bombeiros atuam em rescaldo no prédio incendiado, na região central de Campo Grande. Foto: Henrique Arakaki/Midiamax

A perícia no prédio incendiado, na região central de Campo Grande, nessa quarta-feira (9), apontou que o fogo começou na sala do apartamento do 6° andar. Na ocasião, um idoso de 74 anos estava sozinho e, após inalar fumaça, foi socorrido em estado grave e levado intubado para a Santa Casa. Além dele, outras cinco pessoas ficaram feridas e os bombeiros realizaram os primeiros socorros ainda no local. Veja vídeo do interior do prédio no final da matéria.

O trabalho se estendeu no decorrer da noite e, nesta manhã (10), equipes retornaram ao local para fazer uma vistoria. Ao Jornal Midiamax o coronel Atemison Barros disse que, no momento do incêndio, 30 homens e 10 viaturas foram posicionados para evacuarem cerca de 150 pessoas do prédio, localizado na rua 15 de novembro, entre a ruas 14 de julho e a Calógeras.

[Colocar ALT]
Coronel faz balanço do incêndio.
Foto: Henrique Arakaki/Midiamax

“Nós averiguamos que o prédio tem de 30 a 40 anos e o incêndio ocorreu no 6° andar. Ainda não se sabe a origem do fogo, só que começou na sala. O idoso mora lá com o filho, mas estava sozinho na hora. O fogo, infelizmente, rapidamente tomou conta de todos os cômodos. O Corpo de Bombeiros fez uma vistoria e notificou o prédio no que precisa ser melhorado. A porta corta-fogo, por exemplo, estava em manutenção e a fumaça se propagou pela escada”, explicou o coronel.

Sobre o prédio, os militares apontaram que ele não tem alvará. “É um prédio antigo, tanto que foi feito 15 anos do primeiro Código de Incêndio que temos por aqui e aí sabemos da dificuldade para se regularizar, mas, houve a notificação”, comentou Barros.

Houve momentos de pânico, diz funcionário do prédio

Um funcionário do prédio, de 55 anos e que prefere não se identificar, disse que estava no momento dos fatos. “A noite foi tranquila, só que alguns moradores ficaram assustados.Houve momentos de pânico, só que muitos já voltaram à rotina normal. Tem morador dizendo que o cheiro de fumaça ainda é muito forte, mas, fora isso, está tudo normal, apesar de que, por enquanto, todos estão usando a escada porque o elevador não está funcionando”, argumentou.

A síndica do prédio, Sel Barros, fala que mora no andar de cima do apartamento incendiado. “Alguns moradores preferiram dormir fora de casa devido à fumaça e eu fui um deles, inclusive. Preferi ir para casa de parentes, porque o cheiro de fumaça impregnou nas roupas, mesmo dentro do guarda-roupas”, lamentou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.