Quem é Júnior Moraes? Sete fatos sobre o atacante que negocia para ser reforço do Corinthians

Relação antiga com o Timão, passagem pela seleção ucraniana, gol de título paulista pelo rival Santos… conheça melhor o jogador de 34 anos

A notícia de que o atacante Júnior Moraes tem negociação avançada para defender o Corinthians mexeu com a torcida. Interessado em conhecer mais sobre o possível reforço alvinegro, torcedores fizeram disparar as buscas na internet com o nome do jogador.

Prestes a completar 35 anos (ele faz aniversário em 4 de abril), Júnior Moraes tem contrato com o Shakhtar Donetsk até junho, mas já está livre para assinar contra outra equipe, graças à autorização da Fifa por conta da guerra na Ucrânia.

Júnior Moraes marcou três gols na goleada do Shakhtar sobre o Lviv — Foto: Twitter/Shakhtar Donetsk

Júnior Moraes marcou três gols na goleada do Shakhtar sobre o Lviv — Foto: Twitter/Shakhtar Donetsk

1 – É seleção!

 

Mas não brasileira. Nascido em Santos, no litoral paulista, Moraes se naturalizou ucraniano em 2019. Naquele ano, ele foi convocado pela primeira vez para disputar partidas das Eliminatórias da Euro de 2020, contra Portugal e Luxemburgo.

As federações dos dois países protestaram. Elas alegavam que Moraes não tinha vivido cinco anos na Ucrânia, condição necessária para a naturalização de acordo com o regulamento da FIFA. O atacante tinha atuado no país por quatro anos e oito meses antes de ir para a China e voltar. Porém, a Uefa deu ganho de causa para o jogador e a seleção ucraniana.

No total, Júnior Moraes disputou 11 jogos e marcou um gol pela Ucrânia.

Júnior Moraes em ação pela seleção da Ucrânia — Foto: José Sena Goulão/EFE

Júnior Moraes em ação pela seleção da Ucrânia — Foto: José Sena Goulão/EFE

2 – Clubes em que jogou

 

Revelado no Santos, Junior Moraes tem passagens por times de diferentes países: Romênia, Bulgária, Ucrânia e China. No Brasil, após subir ao profissional do Peixe, o atacante também atuou na Ponte Preta e no Santo André.

Na Romênia, pelo Gloria, Junior foi eleito melhor atacante do campeonato nacional de 2010, com 18 gols em 32 jogos. Em 2011, no CSKA Sofia, da Bulgária, Junior foi artilheiro e vice-campeão do campeonato bulgáro. Foram 16 gols em 24 partidas.

Um ano depois, Junior Moraes começou sua história na Ucrânia. Seu primeiro time foi o já extinto Metallurh Donetsk, fundado em 1999 e que foi à falência em 2015. Com 35 gols em 69 jogos, Junior é o maior artilheiro da história do clube.

Junior Moraes campeão pelo Dínamo de Kiev, em 2016 — Foto: Reprodução

Junior Moraes campeão pelo Dínamo de Kiev, em 2016 — Foto: Reprodução

Subindo de patamar, Junior Moraes foi para o Dínamo de Kiev, onde atuou de 2015 a 2018. Lá o atacante foi campeão da Supercopa em 2015 e do Campeonato Ucraniano em 2016. Foram 33 gols em 85 jogos.

Já no seu antigo clube, o Shakhtar Donetsk, onde jogou de 2018 a 2022, são 62 gols em 106 jogos. O atacante foi bicampeão e duas vezes artilheiro do Campeonato Ucraniano (2018-19 e 2019-20) e campeão da Copa da Ucrânia (2018-19).

Junior Moraes conquistou duas ligas nacionais e uma Copa da Ucrânia pelo Shakhtar — Foto: Alexey Klykov/AM10 Sports

Junior Moraes conquistou duas ligas nacionais e uma Copa da Ucrânia pelo Shakhtar — Foto: Alexey Klykov/AM10 Sports

3 – Ajudou brasileiros a fugirem da guerra

 

Junior Moraes teve papel fundamental para a saída dos brasileiros da Ucrânia, que vive uma guerra com a Rússia. Com o domínio da língua local, foi o atacante quem tomou a frente das decisões do grupo de cerca de 40 pessoas abrigadas em um bunker na capital ucrania

Brasil era o país com o maior número de jogadores no futebol ucraniano, tendo 30 atletas só na primeira divisão do país. O atacante, em entrevista ao Esporte Espetacular, contou sua decisão de ficar para ajudar. Ele, inclusive, por ser naturalizado, poderia ser convocado para a guerra.

– Eu tive a opção de sair sozinho. Um amigo muito influente do país me chamou e falou: “Junior, você tem um carro, está disponível, está pronto, vai pegar você e vai levar para fronteira para você sair”. Mas, cara, agradeci e disse que iria continuar com todos até todo mundo sair.

Júnior Moraes ganha abraço da família no Aeroporto de Guarulhos — Foto: Reprodução

Júnior Moraes ganha abraço da família no Aeroporto de Guarulhos — Foto: Reprodução

4 – Já tratou lesão no Corinthians

 

Em abril de 2021, Junior Moraes viveu um dos capítulos mais difíceis de sua carreira. Durante um treino do Shakhtar Donetsk, o atacante rompeu o ligamento cruzado do joelho direito. Fato que o tirou da disputa da Eurocopa daquele ano.

Dois meses depois, Junior Moraes foi tratar sua lesão no CT Dr. Joaquim Grava. O atacante usou as dependências do Centro de Preparação e Reabilitação Osmar de Oliveira, trabalhando ao lado de Luciano Rosa, antigo fisiologista do Timão e que também estava na Ucrânia.

O atacante também já esteve na Neo Química Arena, não para jogar, mas para visitar e participar do Desafio do Gigante, ação do Corinthians na arena envolvendo torcedores.

5 – Levou fisiologista do Corinthians pra Ucrânia

 

Depois do tratamento no Corinthians, Junior Moraes foi o responsável por levar Luciano Rosa para trabalhar no Shakhtar Donetsk.

Com uma década de trabalho no Timão, Luciano foi um dos idealizadores do Lab R9, laboratório de biomecânica criado em 2011 no clube. O profissional foi à Ucrânia para realizar o mesmo processo de reestruturação, além de trabalhar mais próximo de Junior.

6 – Gol de título no rival

 

Revelado pelo Santos, Junior Moraes, na época apenas conhecido como Moraes, subiu ao profissional em 2007. Com 18 anos, o atacante foi protagonista do final do Campeonato Paulista daquele ano, conquistado pelo Santos.

No segundo tempo da final entre Santos e São Caetano, Vanderlei Luxemburgo apostou no garoto. Com a camisa 18 na época, Moraes entrou e marcou, de cabeça, o gol do título para o Peixe aos 36 minutos.

7 – Pai e irmão jogadores

 

Junior Moraes é de família de jogadores. Seu pai, Aluísio Guerreiro, ganhou o apelido de “guerreiro” após sua passagem pelo Santos. Com um bom início em campo, foi comparado e apelidado em homenagem ao ex-jogador Toninho Guerreiro, que fez dupla com Pelé.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.