Presença de executivo espanhol pode mexer em comportamento de clubes brasileiros em reunião por Liga

A presença do presidente da Liga Espanhola, Javier Tebas, em reunião dos 40 clubes das Séries A e B, para debater a criação da Liga Brasileira, pode mexer no comportamento dos clubes e mudar o jogo político posto neste momento. O encontro está marcado para 9 às 12 horas, no auditório da XP Investimentos, no bairro da Vila Olímpia, zona sul de São Paulo.

Javier Tebas La Liga — Foto: Getty Images

Javier Tebas La Liga — Foto: Getty Images

Tebas estará junto com representante da XP e da Alvarez & Marsal, para apresentar um investidor capaz de comprar 25% da Liga Brasileira. A presença do executivo espanhol serve como carta de intenções de parceria para desenvolvimento da liga, no Brasil, com todo o know-how adquirido pelos europeus.

O que pode mudar o comportamento dos dirigentes brasileiros, no entanto, é a apresentação do dinheiro. Se, de fato, houver o anúncio de que um parceiro tem o cheque para comprar 225% do dinheiro, isto pode mudar o cenário de apoio de Flamengo e dos times paulistas ao projeto da Codajás Sports Kapital, com apoio do banco BTG, e dos dirigentes do Nordeste, mais próximos da LiveMode.

O projeto da Liga precisa ser econômico e os dirigentes o têm enxergado como dinheirista. A diferença entre projetar o sucesso do Campeonato Brasileiro e os ganhos que virão a médio e longo prazo — dez, quinze anos — ou entender quanto se recebe neste momento.

Em tese, a proposta da Liga Espanhola, parceira do grupo CVC na Europa, é de plantar uma árvore e fazê-la crescer frondosa em todos os seus galhos e tronco, para ter uma imensa árvore da felicidade daqui a dez anos. Como se fez na Inglaterra e na Espanha. Para isso, ela vai propor criações de regras rígidas de recebimento do dinheiro e compromisso com os gastos. Também com a divisão das cotas.

Se o interesse brasileiro for apenas receber o cheque e embolsá-lo, não vai dar certo. Mas imagina-se que a reunião sirva para apresentar, pela primeira vez, um investidor de fato interessado em financiar o projeto da futura Liga Brasileira.

Se isto acontecer e houver proposta financeira, isto pode mexer no jogo político.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.