Após denúncia de uso de carne de cachorro, prefeitura de Santiago do Chile proíbe churrasquinho de rua

A prefeitura de Santiago do Chile proibiu a venda de churrasquinho de rua após uma denúncia de que carne de cachorro teria sido oferecida para uma cliente.

A subprefeitura de Estação Central, no centro da capital, organizou uma batida na quinta-feira (7) e apreendeu alimentos e equipamentos de cozinhas irregulares.

A ação ocorre após uma vereadora ter afirmado que uma mulher encontrou um microchip de identificação, dos usados em cachorros, após consumir um espetinho.

“Ela chegou ao hospital com um mal-estar e lamentavelmente tinha um chip no estômago”, escreveu em uma rede social a vereadora Michelle Tabilo.
LEIA TAMBÉM:

Cachorro vira-lata se torna símbolo de manifestações no Chile
Grupo cuida de cachorros de rua em praça em Santiago do Chile

Em uma sessão da câmara, ela pediu que fosse aumentada a fiscalização na área de Estação Central e pediu à população que não comam na rua.

O subprefeito responsável pela área, Felipe Muñoz, não citou a denúncia de que carne de cachorro poderia ter sido usada pelos vendedores, mas compartilhou fotos da apreensão em uma rede social.

“Com a Secretaria de Saúde, e a de Segurança Pública, desativamos as cozinhas ilegais dentro da nossa comuna [equivalente a bairro]. Por favor, não comprem do comércio ilegal”, escreveu Muñoz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.