Semana política teve posse de nova prefeita, pré-candidato desistindo e troca de partido

A semana política em Mato Grosso do Sul teve a posse da prefeita Adriane Lopes (Patriota), pré-candidato ao Governo de Mato Grosso do Sul retirando a pretensão às eleições 2022 e mudança de partido.

Confira o resumo político da semana em Mato Grosso do Sul

Na segunda-feira (4), Adriane Lopes foi empossada prefeita de Campo Grande, cargo que ocupará até dezembro de 2024. Ela assumiu o posto porque Marquinhos Trad (PSD) renunciou ao mandato para disputar as eleições para o Governo do Estado.

Na Câmara Municipal, durante sua posse, Adriane Lopes disse que vai manter o secretariado escolhido pelo ex-prefeito Marquinhos. O presidente da Casa de Leis, vereador Carlos Augusto Borges (PSB), disse que os parlamentares não vão segurar projetos de lei vindos do Executivo.

O fim da janela partidária também provocou mudanças partidárias na semana política. Sobretudo na Alems (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul), na qual quatro siglas ganharam espaço.

Nesta semana, movimentações sobre pré-candidaturas a presidente também foram intensas. Está em andamento possibilidades de composição entre a senadora Simone Tebet (MDB), pré-candidata à República, com o ex-governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB).

Baixa adesão à despedida de Eduardo Riedel da Secretaria de Infraestrutura do Estado foi motivo de ‘bronca’ em grupo de WhatsApp, outro fato da semana política. O ex-titular deixou a pasta para se candidatar ao Governo de Mato Grosso do Sul em 2022.

Semana política teve desistência de candidatura
Outro fato que marcou a semana política foi a desistência da pré-candidatura ao Executivo estadual por parte do ex-governador Zeca do PT. A princípio, a direção do partido estadual disse que o ex-dirigente alegou motivos pessoais.

zecaegisele
Zeca do PT e a possível pré-candidata do partido ao governo, Gisele Marques. (Arte: Marcos Ermínio)
Em seu lugar, Gisele Marques, advogada que disputou a presidência da OAB/MS (Ordem dos Advogados do Brasil), mas não foi eleita, é cotada para disputa. As lideranças petistas querem candidatura à majoritária para fazer palanque no Estado para o ex-presidente Lula nas eleições de 2022.

roseharfouche
Pré-candidata ao Governo de MS, Rose Modesto; Procurador do MPE licenciado, Sérgio Harfouche. (Arte: Marcos Ermínio)
Procurador do MPE-MS (Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul), Sérgio Harfouche (Avante) confirmou a possibilidade de disputar o Senado neste ano. Uma chapa que estaria sendo desenhada com o União Brasil.

Mudança de partidos marcaram Câmara e Assembleia
tiagovargas.joaorocha.marcalfilho
Vereadores Tiago Vargas, João Rocha e deputado Marçal Filho.
Depois de 23 anos no PSDB, o vereador por Campo Grande João Rocha deixou o partido para ingressar no PP. Ele obteve autorização do ninho tucano, uma vez que, sem ser abrangido pela janela partidária deste ano, não poderia mudar de legenda sem anuência.

O deputado Marçal Filho fez o mesmo, saiu do PSDB e entrou no PP, que ganhou mais destaque com a vinda da ex-ministra Tereza Cristina no partido e na presidência dele em Mato Grosso do Sul.

Já o vereador Tiago Vargas não obteve a mesma resposta que João Rocha, quanto à desvinculação partidária. Ele queria deixar o PSD para ingressar no PL. A direção, no entanto, não autorizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.