Estudo mostra que cultura do amendoim pode se tornar viável em Camapuã

A área com plantio experimental de amendoim, na fazenda Marajó em Camapuã, já está em processo de colheita e tem animado os produtores. A produção está alcançando mais de 170 sacas por hectare, números que surpreenderam os agricultores, como conta o Secretário de Agronegócio, Giovani Rocha. “É o primeiro plantio nesta área e a cultura tem mostrado que se adapta bem a nossa região. Os números de colheita estão ótimos e os investidores estão pensando em aumentar a área de plantio”, disse.

Os empresários Rodrigo Rodrigues, Rafael Tonus Rodrigues e Antonio C. Rodrigues, tradicionais produtores da leguminosa no estado de São Paulo, decidiram investir na cultura do amendoim em terras camapuanenses. Na área experimental foram plantados 150 hectares, que após 130 dias já chegou no ponto de colheita.

Toda a produção será destinada para exportação, em mercados já consolidados. De acordo com dados Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Amendoim e Balas, a exportação de amendoim in natura cresceu 12% no ano passado.

Rafael Rodrigues conta que eles viram um grande potencial na região e que resolveram investir. “Sempre comentávamos que um dia teríamos uma propriedade aqui e com a aquisição resolvemos investir na atividade que sempre trabalhamos, que é o plantio e comércio de amendoim”.

“O estudo realizado pelos agricultores vem demonstrando que o clima e o solo da região de Camapuã são propícios para a cultura, mostrando inclusive que o amendoim pode ter viabilidade em nosso município”, afirmou o Prefeito Manoel Nery.

Recentemente o Secretário de Agronegócio esteve com pesquisadores da Embrapa na propriedade rural visitando a área plantada com o amendoim.

A Administração Municipal deu suporte e apoio para que o experimento pudesse ser realizado. Por meio da Secretaria de Agronegócio, o Município vai continuar apoiando para que os produtores rurais tenham mais uma nova opção de cultura e que ela também possa ser rentável, alavancando ainda mais a economia local.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.