Na bolsa de apostas da Faria Lima, Bolsonaro sobe mais do que nas pesquisas

Assim como os Estados Unidos ou a Inglaterra, o Brasil também tem seu mercado de apostas sobre a eleição presidencial. E nessa bolsa, que funciona de maneira informal no mercado financeiro, o presidente Jair Bolsonaro está bem mais bem colocado do que nas pesquisas de opinião.

Leia também: Lula faz “jantar de frente ampla” em Brasília

Nesse mercado, a aposta é em “quem será o presidente do Brasil a partir de janeiro de 2023” –  diferente das pesquisas, que perguntam em quem a pessoa vai votar.

A cotação da última sexta-feira mostrava que, para esses operadores, as chances de Lula ganhar as eleições são de 46%, mais ou menos semelhantes ao do último levantamento do Datafolha, que mediu em 43% a intenção de voto do petista no último dia 25 de março.

Campanha: De olho na rejeição de Bolsonaro, Michelle vai rodar o Brasil em eventos para mulheres

Já Bolsonaro tem 26% das intenções de voto no Datafolha, mas figura na bolsa de apostas da Faria Lima com 40% de chances de ser o presidente.

É uma diferença considerável, especialmente porque, em 31 de janeiro, a “marcação” das apostas era bem diferente. Naquela ocasião, eram 51% de chances para Lula nesse mercado, contra 26,8% do presidente da República.  Mais parecido com o Datafolha, que mostrava Lula batendo Bolsonaro por 48% a 22%, podendo até vencer no primeiro turno.

E aindaRelatório sigiloso mostra que desembargadores do Rio fizeram pareceres privados e pediram favores a empresas

Os apostadores desse mercado são funcionários dos bancos, gestoras e corretoras da Faria Lima, que compram e vendem “Lula”, “Bolsonaro” e outros candidatos por meio de ofertas feitas pelo WhatsApp e marcadas em planilhas internas que só vão ser liquidadas na data da eleição.

Numa única lista, que circula entre investidores abonados, as apostas na eleição brasileira já movimentaram cerca de R$ 3 milhões. Tudo no fio do bigode, mas considerado muito seguro. No mercado, há histórias até de apostadores que não honraram os prejuízos acumulados com as apostas e acabaram demitidos pelo chefe.

Combustíveis: O saldo da crise da Petrobras para Paulo Guedes

Os quatro apostadores com quem conversei nos últimos dias estimam ser centenas deles, que no momento dividem suas atenções entre os resultados do campeonato brasileiro e as eleições de outubro.

Não é uma amostragem numericamente relevante ou estatisticamente representativa, mas tem a utilidade de expressar a leitura de cenário de quem está acostumado a ganhar dinheiro fazendo projeções com base nos acontecimentos políticos.

CentrãoArthur Lira, a Petrobras e a ética do arcebispo

No exterior, onde essas bolsas são comuns, seus resultados são utilizados como ferramenta de análise e projeção de cenários. No Brasil, os apostadores estimam que o mercado informal é ainda mais relevante do que os de sites de apostas – que são populares para resultados do futebol, por exemplo, mas não tanto para a política.

O crescimento das apostas em Bolsonaro no mercado financeiro pode ser lido como um sinal de que, para a Faria Lima, as recentes movimentações políticas do presidente da República devem garantir a ele uma posição melhor nas urnas.

Tensão na largada: Petistas pressionam por mudanças na campanha de Lula

Nos últimos meses, Bolsonaro acatou a sugestão de aliados e parou de criticar a vacinação. Seu governo está gastando neste ano R$ 160 bilhões em um programas com grande impacto eleitoral.

Os outros candidatos que aparecem na bolsa de apostas do mercado financeiro são Eduardo Leite, que na sexta-feira tinha 2,5% de chances de ser eleito, Ciro Gomes, também com 2,5%.

Exército: Governo Bolsonaro é recordista em trocas de comando

Sergio Moro, João Doria, Simone Tebet e até Fernando Haddad estão entre os possíveis presidentes do Brasil em 2023, com 1% de chances cada um.

Por aí se vê que nem na Faria Lima, em que os candidatos da terceira via são sempre bem recebidos, suas chances são vistas como muito promissoras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.