Profissionalismo, exigência e trabalho: técnico do Corinthians rasga elogios ao goleiro Cássio

Pouco mais de uma semana depois de figurar em manchetes policiais, por sofrer ameaças de morte, o goleiro Cássio volta a viver dias de paz e engata uma sequência de bons jogos na equipe. No último sábado, ele foi um dos destaques na vitória do Corinthians por 3 a 0 sobre o Avaí, tendo feito ótimas defesas e ainda iniciado, com um passe longo, a jogada do segundo gol.

Único jogador a ser titular nas dez partidas do Timão sob o comando de Vítor Pereira, Cássio teve sua postura exaltada pelo treinador português em entrevista coletiva

– O Cássio, com a idade que tem, continua sendo um profissional que é dos primeiros a chegar, dos últimos a sair, quer trabalhar, quer melhorar com os pés, melhorar as decisões. Trabalha com um profissionalismo que eu vi de poucos, vi de poucos goleiros com o tamanho dele. Ele exige muito dele. Muito satisfeito por ter ele no gol. É nesse momento que se mostra o nível de um goleiro, quando vai uma, duas bolas, e ele está lá. Não é para qualquer um. Uma coisa é defender uma equipe que sistematicamente está sendo colocada em dificuldades defensivas, outra é em uma equipe que gosta de jogar alto e o adversário tem uma ou duas chances, mas precisa mostrar nessa hora que tem goleiro. O Cássio fez, mais uma vez, um jogo espetacular – declarou o técnico.

Nos últimos anos, o ídolo corintiano vem sendo estimulado e cobrado a jogar mais com os pés. Isso se intensificou desde a chegada de Vítor Pereira, há quase dois meses.

Diante do Avaí, Cássio acertou 27 de 35 passes e 12 de 20 lançamentos.

– Ele tem trabalhado muito com os pés. Fiquei contente por ele arriscar o passe na lateral que começou o (segundo) gol. Um passe que ele não fazia e agora já tem confiança, porque trabalha muito, todos os dias, muito. Não só o trabalho normal de um goleiro, o com os pés também. Com a idade que tem, quer aprender, quer evoluir. Por isso ele sorriu pra mim, eu sorri pra ele. Sabemos o que estávamos pensando. Grande passe que fez e começou um gol – comentou Vítor Pereira

Em entrevista após a partida de sábado, Cássio evitou falar sobre as ameaças sofridas e tratou o caso como “assunto encerrado”. Ele se limitou a agradecer os policiais que o auxiliaram e disse que ninguém merece passar o que ele e a família passaram.

O camisa 12 também celebrou o bom desempenho nos confrontos diante de Deportivo Cali e Avaí, nos quais não foi vazado, mas dividiu os méritos com os companheiros:

– Feliz por ajudar o Corinthians. Meu foco é ajudar. Queria não tomar gol em nenhum jogo, fazer as defesas e ajudar o Corinthians. Muitas vezes a bola não chega porque a defesa também ajuda muito, somos um conjunto.

O Timão volta a campo na quarta-feira, quando enfrenta a Portuguesa-RJ, às 21h30 (de Brasília), pela terceira fase da Copa do Brasil. O duelo será no Estádio do Café, em Londrina, uma vez que o time carioca decidiu vender o mando da partida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.