Análise: Ganso vive tarde iluminada, mas André mata o jogo do Fluminense em erro capital

Fluminense viveu dois tempos muito antagônicos no Couto Pereira, no último domingo, na derrota por 3 a 2 de virada para o Coritiba, pelo Campeonato Brasileiro. Após um primeiro tempo em que o time fez o simples, se mostrou organizado dentro de uma proposta de jogo e a estrela de Ganso brilhou, no segundo tempo, com uma jogada, o volante André fez tudo cair por terra com um pênalti e uma expulsão no mesmo lance Santana/Fluminense

Com Marcão de técnico interino à beira do gramado, enquanto Fernando Diniz não assume, o Fluminense entrou em campo com o meio de campo reforçado, sem os três zagueiros que formavam com Abel Braga uma linha defensiva com cinco homens.

Equilibrado e sabendo atuar dentro dos domínios adversários, o Fluminense do técnico Marcão foi bem nos 45 minutos inicias dadas as proporções do confronto.

Conseguiu neutralizar as investidas do Coxa, que tentava explorar mais as fraquezas pelo lado esquerdo da defesa tricolor, e teve eficiência no ataque com Ganso atuando com mais liberdade perto da área e balançando as redes duas vezes.

O primeiro gol saiu em um chute de fora, de extrema felicidade, em que o goleiro Muralha acabou tomando um frango. O segundo, após boa jogada de Luiz Henrique, que cruzou e encontrou o camisa 10 para marcar de cabeça.

“(Ganso) tem a leitura tática absurda do jogo. A gente falou mais ou menos onde teria o espaço na equipe do Coritiba, e ele estava ali, onde fez os gols. Pisou na área, fez gol de cabeça. É o Paulo que a gente quer ver, que controla o jogo, que pisa na área, que comanda o jogo”, Marcão

Com mais presença no meio, o Fluminense foi para o intervalo com um vitória parcial importante, com a torcida do Coxa na bronca com o goleiro Muralha e um cenário favorável para conquistar três pontos importantes fora de casa.

Mas a derrota tricolor começou a ser construída no primeiro minuto dos 45 finais, quando André recebeu amarelo em lance com Andrey. Menos de dois minutos depois aconteceu o gatilho que o Coxa precisava para iniciar a arrancada para a virada.

O volante levantou a perna na área, no rosto de Léo Gamalho, e acabou cometendo pênalti, que só foi visto após revisão do VAR. No mesmo lance, o jovem jogador acabou sendo expulso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.