Novo presidente da FIA revela tentativa sem sucesso de contato com Hamilton

Novo presidente da Federação Internacional do Automobilismo (FIA), Mohammed Ben Sulayem deu início neste começo de 2022 ao seu mandato, após ser eleito em dezembro passado. O emiradense revelou ter tentado entrar em contato com Lewis Hamilton, que se afastou das redes e da mídia após a derrota para Max Verstappen no fim da temporada 2021 da Fórmula 1 – porém, sem sucesso.

– Mandei mensagens para ele, mas acho que ele ainda não está 100% pronto para respondê-las. Não podemos culpá-lo, eu entendo sua posição, como piloto; mas claro, ele está em um nível diferente – disse Ben Sulayem, que é ex-piloto de ralí e 14 vezes campeão no Oriente Médio

A Mercedes se engajou em uma batalha extra-pista contra a RBR e a FIA após o descumprimento do regulamento que gere o carro de segurança em pista, no GP de Abu Dhabi, última prova do ano; depois da saída antecipada do safety car que sucedeu a batida de Nicholas Latifi a quatro voltas para a bandeirada, Verstappen ultrapassou Hamilton e venceu a prova e o campeonato.

  • Novo presidente da FIA quer evitar repetir polêmica do GP de Abu Dhabi

O time protocolou dois protestos contra o resultado da prova minutos depois da corrida, que foram rejeitados pelos comissários.

Consideraram, ainda, apelar da decisão e até levar o caso para instâncias superiores no esporte, mas na quinta-feira, dia da cerimônia de premiação da FIA, a octacampeã de construtores anunciou que desistiria do imbróglio.

Logo após a corrida, instaurou-se um silêncio pouco usual nas redes sociais de Hamilton, que sequer apareceu na coletiva pós-prova – enquanto a Mercedes comparecia à sala dos comissários para justificar os protestos.

Na mesma semana, o britânico compareceu ao castelo de Windsor, residência da família real britânica, para ser condecorado cavalheiro pelo príncipe Charles; porém, não se manifestou na mídia.

Ele e Toto Wolff, chefe da equipe alemã, também não compareceram à cerimônia de premiação da FIA, contrariando o regulamento esportivo da F1. Ben Sulayem reforçou que se orientará pelas regras para decidir se a ausência do piloto terá consequências, mas demonstrou compreender a situação:

– A regra está lá e pra mim não há diferença entre piloto ou equipe; existem regras que devemos respeitar, e a integridade da FIA. Mas não posso julgar ninguém a menos que obtenha os fatos corretos. Claro que isso é algo que a equipe e Lewis sabiam, mas no fim das contas, são todos humanos, há estresse e pressão. Estou confiante de que tudo ficará resolvido. Não podemos ficar presos em nosso passado, temos muito em que pensar. Somos o povo do futuro

Wolff, que recentemente justificou o silêncio de Hamilton pelo impacto das circunstâncias sob as quais ele perdeu o título para o rival da RBR, chegou a por em dúvida a permanência do heptacampeão na F1 em 2022, apesar do seu contrato valer até o fim de 2021. O presidente da FIA, por outro lado, rejeitou a possibilidade do britânico se aposentar.

– Lewis declarou que não vai correr? Não exatamente. Como piloto, você afirma algo, não deixa os boatos correrem. Portanto, estou confiante de que Lewis voltará. Ele é uma grande parte da Fórmula 1, e essa nova era pode aumentar suas vitórias e conquistas. Além disso, Verstappen também estará lá. Estou muito confiante de que teremos uma temporada muito desafiadora – opinou.

A F1 promoverá em fevereiro os testes de pré-temporada, primeiro contato dos pilotos com o novo carro da categoria. A temporada terá início oficialmente em 20 de março, data do GP do Bahrein.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.