Criação de empregos: 3 em cada 4 empresas pretendem contratar no 1º semestre

Ainda que em ritmo lento, as perspectivas são de aquecimento para o mercado de trabalho brasileiro. Uma pesquisa da empresa de tecnologia para RH InfoJobs, cedida com exclusividade ao g1, mostra que 73% das empresas pretendem contratar novos funcionários no primeiro semestre de 2022.

Dentro desse grupo, um terço deve abrir de 1 a 3 vagas, 22% até 5 posições, e 21% pretende fazer mais de 20 contratações. São empregos formais, em vários níveis hierárquicos: as mais citadas foram auxiliar ou assistente (22%), analista (22%) e especialista (15%).

Segundo a InfoJobs, o número de vagas abertas na plataforma é 40% maior que no mesmo período do ano passado.

SAIBA MAIS

O sopro de otimismo surge em meio à lenta recuperação do mercado de trabalho desde o início da pandemia do coronavírus. O dado mais recente de desemprego mostra que 12,4 milhões de brasileiros continuam sem trabalho, uma taxa de 11,6% no trimestre encerrado em novembro.

A boa notícia é que essa é a menor taxa de desemprego desde o trimestre encerrado em janeiro de 2020 (11,4%), mas o rendimento real habitual caiu 4,5% frente ao trimestre anterior, para R$ 2.444 – o menor rendimento da série histórica iniciada em 2012.

“A palavra-chave é retomada, e ainda vamos viver por um tempo nessa condição. Para nossa surpresa, a variante ômicron ainda não impactou a abertura de novas oportunidades”, diz Ana Paula Prado, diretora nacional da InfoJobs.

 

A executiva diz que a pandemia é central para entender a retomada do mercado de trabalho, mais importante até que as condições macroeconômicas que o país atravessa.

Em geral, a alta da taxa de juros costuma desestimular o investimento das empresas, reduzir as projeções de crescimento e impactar o cenário de contratações.

“Nunca tivemos uma crise tão grave como a pandemia, com queda tão brusca no número de oportunidades. Ainda teremos alguma volatilidade, mas é um ano de recuperação do que foi perdido”, diz Prado.

 

“O que ainda nos segura é a incerteza, mas tanto de inflação e juros, como da garantia de saída da pandemia.”

Série Trampo: Área de tecnologia cresce e oferece milhares de empregos

00:00/04:26

Série Trampo: Área de tecnologia cresce e oferece milhares de empregos

Setores mais aquecidos

 

A pedido do g1, a InfoJobs também elencou os setores mais aquecidos em número absoluto de vagas dentro de toda a base da empresa. Neste caso, estão presentes vagas formais e informais.

Veja a lista:

  1. Comercial e vendas: 31 mil
  2. Informática, TI e telecomunicações: 12 mil
  3. Administração: 6,8 mil
  4. Logística: 6,7 mil
  5. Construção e manutenção: 5,5 mil
  6. Alimentação e gastronomia: 5,5 mil
  7. Indústria, produção e fábrica: 5 mil
  8. Contábil, finanças e economia: 3,9 mil
  9. Telemarketing: 3,6 mil
  10. Saúde: 3,2 mil

 

“Tradicionalmente, o comércio traz mais vagas que os demais. Então, o destaque continua sendo TI, que tem aberto muitas oportunidades”, diz Prado.

 

A área é tão latente que o podcast Cadê meu trampo, do g1, fez um episódio especial sobre empregos em tecnologia.

Para se ter a dimensão do mercado, até 2025 o Brasil vai demandar cerca de 800 mil profissionais para trabalhar com tecnologia. Os dados são da Associação das Empresas de Tecnologia da Informação, Comunicação e de Tecnologias Digitais (Brasscom).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.