Corinthians e São Paulo empatam clássico tenso com golaços e tempos opostos

Corinthians resgatou postura altiva e combativa (Divulgação, SPFC)

Em um jogo com primeiro tempo eletrizante e com golaços, Corinthians e São Paulo empataram por 2 a 2 neste domingo, na Neo Química Arena, pela nona rodada do Campeonato Brasileiro. O time alvinegro ficou atrás no marcador por duas vezes e ainda conseguiu sustentar o placar em desvantagem numérica nos minutos finais. Pelo lado tricolor, a sensação é que o time poderia ter saído de campo com mais uma vitória.

O Corinthians mostrou pontos positivos, o principal deles foi o resgate da postura altiva e combativa. Yuri Alberto foi exemplo disso. Os jogadores, porém, não podem confundir brio com desinteligência, a ponto de deixar o time com um a menos pelo segundo jogo seguido. É preciso reconhecer a falta de qualidade técnica dos atletas alvinegros. Dessa forma, o próprio treinador tem a missão de montar uma equipe que tem de jogar na base do suor.

 

Pelo lado do São Paulo, é de se elogiar a capacidade de articular as jogadas. Os lances não são feitos ao acaso – como no rival. No entanto, uma equipe com essas características, tendo ficado em vantagem no marcador por duas vezes não pode se dar ao luxo de cochilar em momentos determinantes, apesar da extrema felicidade dos jogadores rivais que marcaram os gols alvinegros.

A amostra de garra dada por Yuri Alberto em um carrinho na lateral do gramado no primeiro minuto de jogo deu o tom do que seria o clássico, com um primeiro tempo eletrizante e tenso, recheado de golaços, faltas e discussões.

Não demorou para o São Paulo mostrar o valor da qualidade técnica. Lucas Moura tramou jogada com Calleri e bateu para colocar o time tricolor em vantagem, aos 3 minutos. O clube visitante continuou mais perigoso. Lucas Moura tinha enorme facilidade para fazer fila na defesa corintiana. Se não fosse pelo goleiro Carlos Miguel, o cenário poderia ser pior para os donos da casa.

 

Yuri Alberto, de fato, se mostrou o jogador mais disposto da equipe do Corinthians. Com a pressão do placar adverso, restou aos donos da casa atacar. A estratégia deu certo, Igor Coronado acertou um lindo chute da entrada da área e empatou a partida, aos 30.

Quando o Corinthians parecia mais próximo de virar a partida, o São Paulo reagiu. Igor Vinícius cruzou para Luciano, mas o zagueiro Cacá interceptou e acabou marcando contra, aos 40, recolocando o time tricolor em vantagem.

Quem pensou que o primeiro tempo não teria mais emoção se enganou. Depois de uma bola mal afastada pela defesa são-paulina, Gustavo Mosquito foi muito feliz com uma finalização no ângulo, indefensável para Jandrei.

O segundo tempo em nada se assemelhou com a etapa inicial. O jogo perdeu completamente a energia, e os times diminuíram a sua produção ofensiva. Por isso, a sensação de que o placar poderia ser definido com apenas mais um gol.

Os sinais começaram a pesar a favor do São Paulo. Aos 32 minutos, Caetano foi expulso ao receber o segundo cartão amarelo por impedir a progressão de Calleri rumo ao ataque. Assim, o Corinthians ficou com um jogador a menos em campo, mas conseguiu se sustentar e segurar a igualdade até o apito final.

O São Paulo volta a campo na próxima quarta-feira, às 20h, no MorumBis, para duelar com o Cuiabá pelo Brasileirão. Um pouco mais tarde, às 21h30, o Corinthians mede forças com o Internacional, no Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *