Quero mudar o mundo’: Mais de 6,6 mil vão enfrentar 5h de prova em busca do sonho do curso superior

Futuros egressos da UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) vão passar as próximas cinco horas prestando o vestibular e sonhando com uma oportunidade de cursar o ensino superior. Os mais de 6,6 mil inscritos fazem a prova neste sábado (8), em 17 municípios do Estado.

Filha de professores, a estudante Mariana Clara, de 17 anos, que seguir a profissão dos pais e ‘mudar o mundo’. “Vou prestar para letras. O cenário atual da educação básica e pública é bem desvastador; é triste. Precisamos de pessoas capacitadas para mudar esse cenário”, disse ela ao Jornal Midiamax.

Vinda da aldeia Tereré, em Sidrolândia, a estudante Marília Gabriely Marcelino, de 17, tinha tudo para chegar com tempo e prestar o vestibular para Geografia, mas imprevistos a fizeram chegar após o fechamento dos portões, às 14h. “Saí com tempo, mas o trânsito estava demais

 

Ela veio de Sidrolância de carona com outros moradores – conhecido como rateio ou lotação. Chegando em Campo Grande, eles deixaram uma outra pessoa que ia fazer o vestibular na UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) e tiveram que deixar outra em um hospital, pois ela passou mal.

Por fim, o horário ‘venceu’ e Marília chegou cerca de um minuto após o portão fechar. “Foi questão de um minuto, mas se não for para ser esse ano não tem problema, a gente tenta de novo”

 

Cursos mais procurados

O vestibular está acontecendo simultaneamente em todo o Estado. São 6.636 inscrições pagas para os 58 cursos oferecidos por 14 unidades da instituição. Na Capital as provas estão ocorrendo na UEMS e na UFMS, com 614 pessoas em uma e 2.000 na outra, respectivamente.

Em Campo Grande, segundo a vice-diretora da UEMS, Celi Corrêia Neres, os cursos mais procurados são medicina e pedagogia. O estudante Bruno de Lima, de 22 anos, está fazendo a prova para cursar ‘a famosa’ medicina e, segundo ele, estuda desde 2020 para o vestibular.

“Desde que me entendo por gente escolhi medicina. É uma profissão muito nobre, sempre admirei.  É a tentativa de um sonho, tem gente [da família] que apoia e outros que falam para tentar algo mais fácil, mas aprendi a olhar para mim mesmo”, opinou ele à reportagem.

A prova tem duração de cinco horas com 60 questões e redação. Na Capital, 27 sabatinos vão fazer a prova depois do pôr do sol, conforme Celi. Levantamento nas 14 unidades mostra que o cursos mais procurados em MS são o de medicina e direito, em 1º e 2º lugar, respectivamente.

E não só pessoas de MS estão interessadas nas vagas da UEMS. A estudante Ariane Fernandes veio de Presidente Prudente (SP) para prestar o vestibular de medicina em Campo Grande.

“Medicina a gente tem que tentar todas. É um curso muito concorrido e por isso, ja fiz várias viagens”, explicou ela. Nesta edição do processo seletivo, a UEMS está com 1.191 vagas abertas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.