Fugitivo americano é encontrado com Covid-19 em hospital escocês dois anos após forjar a própria morte

RIO — Um fugitivo americano que há cerca de dois anos forjou a própria morte para escapar de acusações criminais nos EUA foi encontrado no último dia 13 de dezembro num hospital escocês, onde estava internado com Covid-19. Nicholas Alahverdian, de 34 anos, era mantido na unidade respirando com ajuda de um ventilador. Segundo a polícia escocesa, a prisão ocorreu em Glasgow “em conexão com um mandado de prisão internacional”.

Indonésia:Mulher é açoitada 100 vezes por adultério enquanto homem leva 15 chicotadas

De acordo com as autoridades americanas, Nicholas foi levado sob custódia, e o Gabinete do Procurador do Condado de Utah trabalha com agências federais e internacionais para extraditá-lo de volta ao estado de Utah.

Nicholas deixou os EUA em 2018, época em que uma amostra de seu DNA era analisada pela polícia, de forma a comprovar seu envolvimento em casos de ataque sexual e fraude em dois estados. Ainda que um obituário publicado em fevereiro de 2020 indicasse que ele teria morrido de câncer, a polícia não acreditou em sua morte. Por fim, na Escócia, Nicholas adotou o nome Arthur Knight e foi desmascarado enquanto era paciente no Hospital Universitário Queen Elizabeth.

O americano havia sido condenado, em 2008, por duas acusações de agressão sexual em Ohio e, em 2017, seu DNA entrou no banco de dados dos EUA. Com isso, a polícia pôde verificar que ele tinha envolvimento num outro caso de agressão sexual em Utah, tornando-se suspeto ainda de outros delitos no país.

Diante da descoberta de seu paradeiro, o procurador do condado de Utah, David Leavitt, agradeceu à polícia em todo o mundo, em especial a escocesa, por encontrar o fugitivo.

Ainda não foi definido um prazo para a extradição de Nicholas, cujo último nome é Rossi, para os Estados Unidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *