Nelsinho diz que PSD aguarda Leite e descarta aliança com PT

PSD vai ter candidato próprio e não deve apoiar nenhum partido polarizado, no 1º turno

Senador Nelsinho Trad (PSD)
Senador Nelsinho Trad (PSD) – Marcos Oliveira, Agência Senado, Arquivo

A desistência de concorrer à Presidência da República por parte do presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco, influencia o PSD, que espera a filiação do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB) para lançar a pré-candidatura a presidente.

Segundo o senador Nelsinho Trad e presidente estadual do PSD em Mato Grosso do Sul, a desistência de Pacheco na corrida eleitoral influencia o partido. Ele afirmou ainda que o PSD não vai apoiar nenhuma legenda polarizada.

Ainda conforme Nelsinho, Eduardo Leite pode deixar o PSDB para se filiar ao PSD e ser o pré-candidato a presidente. “O PSD reitera a posição de ter candidato próprio. Estamos na busca de um candidato que pode vir a ser Eduardo Leite. Ele pode migrar ao partido e, assim, se habilitar eleitoralmente e se candidatar a presidente”.

Com isso, o partido não cogita fazer aliança com nenhum dos lados polarizados. “Não existe apoio ao PT, pelo menos não nesse primeiro turno. Temos a possibilidade também do ex-governador do Espírito Santo, Paulo Hanturg”.

Pacheco anunciou na noite da última quinta-feira (9), ao presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, que não seria mais o pré-candidato a presidente. Ele justificou que seu compromisso com o Senado e a população é mais urgente, inadiável e “não permite qualquer espaço para vaidade”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.