Queda drástica: MS tem menor volume de soja colhido nos últimos cinco anos

Balanço da safra de  2021/2022 apontou queda drástica na produtividade, a menor em cinco anos, em Mato Grosso do Sul. Conforme o Projeto SIGA/MS, vinculado à Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e  Familiar), Aprosoja/MS (Associação de Produtores de Soja de MS) e a Famasul (Federação da Indústria de Mato Grosso do Sul), a estiagem nos últimos meses interferiu significativamente no desenvolvimento das plantas e provocou perdas nas lavouras.

No estado, a área ocupada pela soja, nesta última safra, foi de 3.748.042,72 hectares, o que projetava uma safra recorde e equivalente a 56 sacas por hectare. “Dada a relevância dos fatos ocorridos na safra de soja, nós fizemos uma auditoria e o levantamento final, o qual identificamos os mesmos 3,7 milhões de hectares semeados com soja no estado e isso foi um aumento de 6,2% em relação à safra de 2021. Verificamos também que o impacto da estiagem foi característico, de um ano de La niña no Brasil”, afirmou ao Jornal Midiamax o presidente da /MS, André Dobashi.

Produtor de soja enfrentou longa estiagem

Na região norte do estado, houve bastante chuva neste período e inclusive muita reclamação dos produtores, ainda de acordo com Dobashi. “No sul também os produtores enfrentaram uma das maiores estiagens dos últimos anos e isso resultou em uma produtividade muito baixa, mais de 60% da soja semeada em Mato Grosso do Sul. No norte, que responde por 15% de área semeada, teve a produtividade de 71.15 sacos por hectare, enquanto isso o centro do estado, uma região que está crescendo bastante, apresentou uma produtividade bem mais baixa, em torno de 46,67 sacos por hectare, já evidenciando o início do processo de estiagem“, explicou o presidente.

Já o sul do estado, que responde por 62,4% da área semeada, a maior concentração da área de produção de grãos no estado, teve uma produtividade de 27,85 sacos por hectare e isso resultou em uma produtividade média de 38.6 sacos, muito abaixo do que havia sido programado para esta safra.

soja marcos erminio
Expectativa para safra era de 50 a 56 sacas por hectare. Foto: Marcos Ermínio/Jornal Midiamax

Produtor aguarda bons resultados com o milho

“Todo ano a Aprosoja estima esse crescimento orgânico, em torno de 6% a 7% e isso foi verificado, mas, infelizmente a produtividade que a gente previa, em torno dos 50 sacos, 56 sacos, que é o que a gente coloca baseado na média histórica do estado, ficou 38.5% a menos em relação a produtividade da safra passada 20/21 e isso resultou 8,7 milhões de toneladas de soja produzidas no estado ou 35% a menos em relação à safra anterior. É um resultado bastante decepcionante para o produtor sul-mato-grossense, mas que, com as boas chuvas do milho, espera que tenha um resultado interessante para o milho segunda safra no estado. Resta agora esse bom cultivo do milho”, argumentou Dobashi.

Custo de produção do milho sobe 150% em MS

Ainda de acordo com a Aprosoja-MS, o custo de produção da safra 2022 do milho, em Mato Grosso do Sul, apresentou nova alta neste último mês de março, alcançando a marca de R$ 8.220,80 de investimento por hectare. A alta é de cerca de 150%, comparado com o preço da safra passada 20/21.

milho assecom semagro

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.